English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

SIHUANABA - LENDA URBANA

Olá amantes do terror como vão?

Espero que ótimos!

Depois de um tempo ausente o blog volta agora com força total! E para agradar o ânimo dos e-mails quentes (para não dizer violentos) que estamos recebendo vamos para uma postagem de arrepiar os pêlos mais escondidos  (Vocês entenderam não é mesmo? ), então vamos lá!




Imagine... 

Apenas imagine... 

Caro Leitor - Imagine...

Você... Aquele tipo de homem festeiro, daqueles que não dipensa uma bagunça, ama a noite, as mulheres e o orvalho. Boemia é a sua vida e tudo aquilo que você quer é ser feliz e ter prazer. Custe o que custar, nada, nem ninguém importa além de você e seus desejos.





Como todas as noites, esta não seria diferente e você após saciar-se dos vícios e prazeres da carne, caminha solitário rumo a sua velha casa para novamente enganar a pobrezinha e linda esposa que desamparada chora a a sua espera. Mas, como sempre, você não se importa, embora ela ainda tenha belos seios e um largo quadril.

Ainda sorrindo com a bela imagem em mente. 

Assusta-se...

Em frente, na suja estrada de chão que liga a velha fazenda onde mora encontra-se uma mulher, seu vestido branco mistura-se com a a cor da terra, de costas suas curvas destacam-se prazerosas e magnéticas, seus longos cabelos negros dividem-se com o vento evidenciando um busto abundante e provocante. De costas ela murmura: Me ajude, por favor, me ajude...




Você, como se tivesse ganhado na loteria, abre um gigantesco sorriso, apruma o paletó, limpa a poeira da calça, com a mão joga para o lado os cabelos cebosos e se aproxima suave e sorrateiro. 

Com malicia, abraça a mulher ainda sem ver seu rosto e diz "tenha calma estou aqui, fique calma..."

"Me ajude, Meeee AAAAjudeeeeeeeeerrr"

Ela vira-se repentinamente, não há rosto humano, somente uma face parecida como  a de um cavalo, toda deformada, sangrando, com dentes negros e uma saliva apodrecida que por vezes espirrava-lhe na boca provocando nauseas. Aquela grande boca suja abriu-se com impeto, os dentes apontaram-se firmemente para sua garganta. Você nunca mais acordou...




Não que tenha morrido. Não, não.





Simplesmente você nunca mais será você. Tornou-se um senil que vagará eternamente pelo mundo, perdido. Não poderá mais reconhecer quem ama ou mesmo a si próprio. Você não está morto, você simplesmente não existe mais...

E assim.. 





Você acabou de conhecer (da pior maneira) a lenda de SIHUANABA um personagem extremamente assustador do folclore antigo da américa Central. Tão antigo que a verdadeira origem da criatura perdeu-se no tempo e não encontra-se qualquer fonte que delimite isso. 

Quem, ou o que seria SIHUANABA?

A América Central como todos sabemos, possui ótimas lendas folclóricas repleta de criaturas horripilantes e sombrias sendo a lenda de Sihuanaba uma das melhores delas. 

A lenda trata-se da história de uma mulher extremamente atraente geralmente vestida de branco que é encontrada em estradas, matas, mas preferencialmente em locais com muita água, como riachos cachoeiras e lagos.


Não se sabe exatamente a origem, mas algumas informações inerentes a lenda referem-se que ela surgiu quando uma mulher enlouqueceu após descobrir a traição do marido/namorado, então desesperadamente resolveu executar rituais pagões para se vingar. Pediu aos demônios para que o homem que a havia feito sofrer deixasse de existir com muita dor. 

Segundo a lenda ela foi atendida, mas como tudo tem um preço, ainda mais com demônios, eles a amaldiçoaram a vagar pela terra pela eternidade com seu rosto transformado na face apodrecida de um  cavalo ou por vezes como um crânio repleto de vermes e podridão.

Em todos os avistamentos ela é descrita como uma linda mulher, com curvas acentuadas e uma voz triste e doce que solicita ajuda para aproximar a vítima. Sempre é avistada de costas, para esconder a face e conseguir atrair  o próximo infeliz que sofrerá consequências inevitáveis por toda a vida, ou morrerá na hora. 





Tudo depende da vontade dela, porque, sorte mesmo; não existe em nenhuma das duas opções.

Muitas vezes ela se disfarça como esposa/namorada da vítima, atraindo-o sensualmente para algum lugar um pouco distante e logo revela-se a criatura horrenda que é, matando ou enlouquecendo o pobre homem selecionado. 

Se aproximar-se demais o fim é eminente! Não existe maneira de fugir! O golpe será certeiro e mortal!

Contudo se você for surprendido pela situação e conseguir não aproximar-se tem duas coisas que pode fazer para evitar a SIHUANABA: 

1- Direcionar um cricifixo benzido em direção a criatura.

2- Morder um facão de ferro. ( É isto mesmo! Agora o porque disto ou ainda como descobriram isto, não me perguntem).

Ainda não acabou...

Imagine...

Caro leitor; apenas imagine...




Carlinhos é um garoto de apenas oito anos que vive só com os avós, pois seus pais morreram em um  trágico acidente. Carlinhos ainda lembra de seus pais. Ele os amava muito.

Lembra da voz bondosa de seu pai, os cabelos louros e amáveis de sua mãe, o rosto e delicado de sua mãe não fogem de sua memória. 

Ele chora sempre, escondido, todos os dias.

E ali está Carlinhos, brincando sózinho com bolinhas de gude frente a casa de seus avós. A dor da saudade aperta-lhe o peito, mas ele controla-se...

Ele brinca e chora, ele brinca e ele chora, até...

"Carlinhos sou eu"

Ele olha para cima e ali está sua mãe, linda como sempre, com  a mão estendida.

"Venha Carlinhos, vim te buscar"

Ele agarra a mão da mãe e a segue pela mata frente a velha casa.

"Venha, meu filho vou te levar"





Próximo ao pequeno córrego ela para por algum tempo sem olhar para a criança.

"Mamãe? Onde vam..."

Essa foi a última frase de Carlinhos. Ele jamais será encontrado, talvez tenha morrido. Talvez esteja vagando, louco, pelo mundo até hoje. Nunca saberemos.

Sim, nobre leitor!

Essa entidade lendária também desaparecia com crianças, geralmente orfãos. Ela geralmente se disfarça da falecida mãe e desaparece com as crianças, algumas são encontradas mortas, já outras vagam pelo mundo em plena loucura, sem jamais conseguirem encontrar seu lar, ou alguém que o ame. Um sofrimento eterno.




É bem macabro! Não acham?

Sim e muitos relatos de avistamentos de SIHUANABA acontecem pelo mundo, principalmente perto de regiões com muita água, portanto amigos leitores...

Muito cuidado;

Se você acreditar, claro. Afinal essa é só mais uma lenda urbana.

Um grande abraço a todos!








4 comentários:

  1. Cara - Otimo texto parabens

    Mas coitado do carlinhos. Coitado cara num faz mais isso não . To chorando aqui

    marcelo joinvile

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito muito da lenda, gostei da história que há precedeu. Na minha opinião, traição por mais mundana que seja, leva quem foi traída a loucura. O emocional de uma pessoa é muito sensível quando se trata relacionamento amoroso, ou um vínculo afetivo.
    Já na parte do Carlinhos, eu achei bem triste, porque é uma informação muito pesada para uma criança "digerir", a morte ela pode ser bem aceita por adultos, mas para crianças que agora que estão começando a vida, é muito pesado. E é por causa disso que acabam sendo as mais vulneráveis em tudo.


    Essa é a primeira vez que visito este site/blog e gostei muito da história com à qual me deparei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei a originalidade do conto e a narrativa impactante; o que me traz a lembrança A Carta do Além. Tempos depois de sua publicação original no século passado, ele é agora republicado em forma de ebook. Um relato real, intrigante e misterioso, A Carta do Além, conta a história da condenação eterna de uma jovem: Ani. Essa carta foi encontrada entre os papéis de uma religiosa falecida, chamada Clara, amiga da jovem condenada. Na narrativa a religiosa relata detalhadamente o que lhe foi comunicado em sonho, sobre fatos da vida da amiga até então por ela desconhecidos, e principalmente sobre a condenação eterna de Ani.A Cúria diocesana de Treves (Alemanha) autorizou sua publicação como sumamente instrutiva. A Carta do Além apareceu primeiro em um livro de revelações e profecias, juntamente com outras narrações. Fica a dica

      Excluir
  3. Adorei a originalidade do conto e a narrativa impactante; o que me traz a lembrança A Carta do Além. Tempos depois de sua publicação original no século passado, ele é agora republicado em forma de ebook. Um relato real, intrigante e misterioso, A Carta do Além, conta a história da condenação eterna de uma jovem: Ani. Essa carta foi encontrada entre os papéis de uma religiosa falecida, chamada Clara, amiga da jovem condenada. Na narrativa a religiosa relata detalhadamente o que lhe foi comunicado em sonho, sobre fatos da vida da amiga até então por ela desconhecidos, e principalmente sobre a condenação eterna de Ani.A Cúria diocesana de Treves (Alemanha) autorizou sua publicação como sumamente instrutiva. A Carta do Além apareceu primeiro em um livro de revelações e profecias, juntamente com outras narrações. Fica a dica.

    ResponderExcluir